Projeto surgiu para reverter os resultados insatisfatórios na maior olimpíada estudantil do país

Estudantes do ensino fundamental estão recebendo aulas gratuitas de reforço para participar da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) por meio de um projeto do Campus Montanha. A iniciativa surgiu com o objetivo de reverter os resultados insatisfatórios da cidade e de municípios vizinhos, como Mucurici, Pinheiros e Ponto Belo, na maior olimpíada estudantil do país.

Os professores Eufelix e Priscilla orientam os alunos.

O projeto começou ano passado com coordenação do professor de Matemática Eufelix Monteiro e a colaboração da professora Priscilla Codeco. Ao todo, 45 estudantes foram selecionados.

Apesar de a preparação ter começado apenas dois meses antes da prova, os resultados dos alunos do Fundamental I (6º e 7º anos) foram animadores. Juntas, as quatro cidades tiveram uma medalha de prata, quatro de bronze e nove menções honrosas. Montanha, que em 2015 havia conquistado um bronze, saltou para uma prata e quatro bronzes. Pinheiros conquistou sua primeira medalha de bronze.

Neste ano também serão preparados estudantes do Fundamental II, do 8º e 9º anos. Outra novidade será a abertura de uma turma para alunos do 4º e 5º anos do ensino fundamental, que serão preparados para a Olimpíada Canguru de Matemática.

“Uma consequência do projeto é a mudança de postura dos alunos, que melhoram o seu rendimento em outras disciplinas. Esses são estudantes que em breve poderão ser alunos do Ifes. A vivência no campus desperta o interesse deles em estudar aqui. Alguns, inclusive, já usam o uniforme do Ifes durante as aulas do projeto”, explica a professor Eufelix, criador do projeto.

A procura este ano foi grande. “Divulgamos o projeto nas escolas da região e tivemos um retorno com 120 alunos se inscrevendo. Fizemos um processo seletivo com uma prova com questões de edições anteriores da OBMEP. Já do Canguru foi feito um contato com a Secretaria Municipal de Educação de Montanha, que fez junto às escolas o levantamento de estudantes para tentar a seletiva”, explica a professora Priscilla Codeco.

A OBMEP é realizada pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), e visa estimular o estudo da Matemática no Brasil e melhorar a qualidade da educação básica. Para 2017, a prova estará aberta também para escolas privadas. “Nossa meta é classificar todos os nossos alunos para a segunda fase da OBMEP. Caso algum aluno que não faça parte do projeto se classifique, ele também será convidado a ingressar nas nossas aulas para se preparar para a segunda etapa”, afirma Eufelix.

A primeira etapa da OBMEP será em junho, com provas objetivas. Para a segunda fase serão classificados os melhores colocados de cada escola. O teste com questões discursivas será em setembro, com resultado divulgado em novembro. Em cada nível são distribuídas 200 medalhas de ouro, 500 de prata e 1600 medalhas de bronze. A Olimpíada Canguru será realizada em etapa única, em maio.

Estevão Freitas Montovanelli, 11 anos, ingressou nas aulas em setembro do ano passado. Fotos: Alex Gouvêa – Estúdio Gazeta

Canguru

Parte das aulas do curso Canguru são feitas de forma interativa no laboratório de informática do  Campus Montanha, o que motiva os estudantes a se dedicarem aos estudos, como no caso de Estevão Freitas Montovanelli, 11 anos, aluno do 5º ano da EMEF Presidente Costa e Silva, de Montanha. Ele ingressou nas aulas de Matemática em setembro do ano passado.

Minha mãe recebeu a ligação do diretor da minha escola e depois me disse ‘você vai fazer parte do Ifes’”, afirma o estudante, orgulhoso por estudar no Campus  Montanha.

Eu tinha algumas dificuldades, principalmente, nas contas de divisão, mas hoje eu estou dominando os problemas”, diz Estevão.