Projeto Inova Jovem permite que estudantes e moradores da comunidade registrem fatos do cotidiano com a ajuda de recursos como fotografia e cinema

Entender a realidade dos jovens e dialogar com ela é essencial para promover uma educação de qualidade, que realmente faça a diferença na vida dos alunos. E a arte tem um grande poder nessa estratégia. É esse o conceito do Projeto Inova Jovem, que movimenta o Campus Viana.

Por meio de linguagens como a fotografia e o cinema, os estudantes e a população do município têm a oportunidade de registrar fatos que cercam seu cotidiano e debater sobre questões relevantes para eles, como preconceito, trabalho em equipe e luta por direitos sociais. O objetivo é estimular a inovação, o empreendedorismo e a criatividade.

O Ifes é referência em termos técnicos, mas temos que ter uma compreensão dos interesses da juventude para nos comunicarmos com esse público. Quando inserimos a fotografia e o audiovisual na didática, conseguimos nos aproximar mais da realidade deles e, assim, produzir melhores resultados”, afirma o professor Robson Malacarne, coordenador do Inova Jovem.

Projeto de extensão do Campus Viana, que conta inclusive com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), o Inova Jovem explora o papel social do Ifes de oferecer serviços à comunidade. Outra missão é estimular os alunos a traçar paralelos entre o conteúdo aprendido na instituição e a realidade que os cerca, para formar não apenas bons profissionais, mas também cidadãos conscientes.

Para tanto, o projeto atua em três arenas de ação: atividades na rede de ensino pública do município, capacitação para a comunidade externa e cursos para os alunos.

Para mim foi maravilhoso fazer a oficina de fotografia, não imaginei que teria essa oportunidade. Sempre fui fanático por essa área, e o curso me despertou o desejo de estudar ainda mais. Penso em me dedicar à fotografia, mesmo que seja por hobby”, Wagner Luiz Gomes, 16 anos, 1ª ano do curso técnico integrado em Logística

A primeira iniciativa do Inova Jovem aconteceu entre março e julho de 2016, com uma oficina de assistente de produção cultural aberta à população, em parceria com a Agência de Desenvolvimento Social Jovem (Adesjovem). Ao longo da capacitação, os participantes produziram um vídeo sobre os pontos turísticos da cidade.

Viana tem espaços culturais que datam do século XXII, que mesmo pessoas que moram aqui não conhecem. O projeto busca resgatar a história da cidade, com registros em fotografia e o uso desses locais no roteiro do curta-metragem produzido por eles”, explica Malacarne.

Em seguida, o núcleo de arte e cultura se encaminhou para a Escola Ferdinando Santório, contemplando alunos da Educação de Jovens e Adultos. Segundo o coordenador, foram identificados dez alunos que tinham interesse de aperfeiçoar seus conhecimentos e, então, foi criado um cineclube, com a exibição de filmes educativos.

Entre as obras estava “Tudo Nasce de um Sonho, Valentim”, produzida por alunos da Escola Coronel Olimpio Cunha, do bairro Santana, em Cariacica.

As atividades de 2016 culminaram com uma oficina de fotografia e audiovisual para os alunos do curso técnico em Logística do Ifes, que o final se engajaram no registro da Semana da Ciência e Tecnologia. Em todas essas etapas, estava em foco o debate sobre o papel da juventude na promoção de uma educação inovadora.

Mayara Miranda Will da oficina de Assistente de Produção Cultural. Foto: Tati Hauer – Estúdio Gazeta

Mudança de vida

A oportunidade de participar de um curso de capacitação pode significar uma guinada na vida dos participantes. Para Mayara Miranda Will (foto), 22 anos, a oficina de Assistente de Produção Cultural oferecida pela Ifes abriu as portas para o crescimento profissional.

Moradora de Cariacica, ela sempre gostou de fotografia e chegou a trabalhar como assistente. “Apesar de todo meu interesse, nunca havia conseguido fazer cursos de aprimoramento, porque costumam ser caros. As aulas no Ifes me deram segurança tanto administrar melhor o que eu já fazia quanto para trabalhar sozinha, porque realmente aprendi a manusear uma câmera e tive boas noções de roteiro, por exemplo”, conta a aluna.

As aulas foram ministradas duas vezes por semana, por cinco meses. O curso é no estilo dos oferecidos pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), que oferecem formação gratuita em parceria com a instituições públicas de ensino. “Além de contribuir para a minha vida financeira, a oficina do Ifes me despertou o interesse de estudar ainda mais sobre fotografia”, diz Mayara.

Aprendi muito com esses projetos, especialmente o do cineclube. Foi interessante, porque os filmes mostraram realidades que eu nunca tinha vivenciado, o que ampliou meu conhecimento até mesmo sobre fatos que acontecem na cidade”, Vitória Sesana, 14 anos, 2ª ano do curso Técnico Integrado em Logística