Por Denio Rebello Arantes, Reitor do Ifes

A educação abre portas e revela novos caminhos. Quando aliada à dimensão do trabalho, que é a capacidade humana de agir sobre a natureza, ela é ainda mais transformadora. Desde nossa fundação, em 1909, somos uma instituição que tem por marca transformar as vidas das pessoas, apresentando novas oportunidades. Todos conhecem ou já ouviram falar de alguém que pode ter sua história dividida entre antes e depois de passar por uma das unidades do Ifes.

Essa vocação não é coincidência. Fazemos diferença para tanta gente porque educamos para uma das dimensões mais significativas da vida no último século:  o trabalho. Também porque mantemos grande proximidade com os anseios da sociedade, em um esforço contínuo de permanecermos sempre contemporâneos.

Quando falamos em educação profissional, é claro que pensamos na sala de aula e em laboratórios, mas também estamos nos referindo à formação dos nossos alunos para um mundo cada vez mais complexo, promovendo atividades de pesquisa e extensão, a vivência nas práticas de ensino, o empreendedorismo, as atividades culturais, recreativas, esportivas e políticas.

Desde 2008, quando nos tornamos uma única instituição em todo o Espírito Santo e parte de uma rede nacional de educação profissional, científica e tecnológica, temos ampliado nossos horizontes, aberto novos caminhos e diversificado nossa atuação, investindo fortemente na pesquisa aplicada e nas inovações tecnológicas e sociais; e nos projetos de extensão tecnológica e comunitária.

A constituição dos Institutos Federais é uma experiência que tem atraído olhares de governos e organizações que pensam a educação profissional em todo o mundo. No Espírito Santo, essa mudança veio acompanhada de grande expansão da oferta de cursos em todos os níveis e da intensificação dos relacionamentos com as comunidades.

Passamos de 12 unidades para 22 nos últimos nove anos. A oferta regular de vagas, que antes chegava a sete mil, hoje soma mais de 30 mil em todos os níveis de ensino: são cerca de 80 cursos técnicos, mais de 40 graduações, 21 especializações e 10 mestrados.

Toda essa expansão significa ampliação de nossa inserção regional e também de nossa capacidade de atuarmos junto da sociedade. Hoje nos orgulhamos de mudar a vida de milhares de pessoas que estudam em nossos campi e de mantermos projetos e programas que se relacionam diretamente com as comunidades, produzindo ações, ideias e todo tipo de solução para as cadeias produtivas, para as organizações sociais e para órgãos de governo, de Norte a Sul do Espírito Santo. Esperamos que essa trajetória possa mostrar a evolução de nossa instituição e a relevância do seu papel social, construído por meio de ações concretas e engajadas na sociedade capixaba.